Fundo da barra de navegação
Azeitonas

Azeitonas

3 de Agosto

“Um verdadeiro fenómeno de culto em Portugal”, afirmava a revista Blitz em 2010. Nenhuma frase resume melhor o percurso sinuoso e pouco ortodoxo desta banda portuense. Formada em 2002, numas férias de amigos, num misto de displicência e paixão pós-adolescente, foi com bastante surpresa que a banda (e o país) viu as suas canções, timidamente, a irem sendo acolhidas pelo vulgo.

A estreia discográfica deu-se em 2005, pela mão de Rui Veloso e a sua recém-formada editora, com “Um Tanto ou Quanto Atarantado”. Mas foi no segundo disco, editado independentemente no fim de 2007, que incluía “Quem És Tu Miúda” e “Nós Desenhos Animados Nunca Acaba Mal”, que as coisas começaram a mudar. “Quem És Tu Miúda” tornou-se no primeiro sucesso radiofónico da banda, e os concertos começaram, timidamente, a aparecer. E foi precisamente aí (no palco) que a banda se encontrou. Concerto após concerto, os Azeitonas foram-se afirmando como um verdadeiro fenómeno de atração, apoiados sempre pelas canções, que iam encontrando no público o seu verdadeiro eco.

No álbum seguinte, “Salão América” (2009) foi com “Anda Comigo Ver os Aviões” que os Azeitonas atingiram verdadeiramente o merecido estatuto de banda pertencente aos lugares cimeiros no panorama da nova música nacional. Entre 2010 e 2012 a banda terá dado mais de 100 concertos, entre Queimas, Festivais, Concertos de Verão, sempre perante grandes multidões.

Com o disco AZ (2013), vem o verdadeiro reconhecimento. Os Singles “Ray-dee-oh” e “Tonto de Ti” tornam-se das canções mais tocadas em rádio e, em Novembro desse ano, os Azeitonas esgotam os Coliseus do Porto e Lisboa, um verdadeiro feito para quem acompanha o atual estado da indústria musical portuguesa. São realmente muito poucas as bandas do passado recente português que terão arriscado, em nome próprio, enfrentar as míticas salas, e Os Azeitonas fizeram história em duas noites verdadeiramente memoráveis, com mais de 40 músicos em palco em cada noite, numa reprodução fiel e irrepetível do ambicioso “AZ”. Foi deste espetáculo que surgiu o último trabalho da banda, “Serviço Ocasional”. O registo ao vivo do concerto no Coliseu do Porto, editado em CD e DVD, saiu em Março de 2015 e entrou diretamente para o primeiro lugar do top nacional de vendas, mais um feito inédito a marcar a história da banda. Alvo de rasgados elogios por parte da crítica, este trabalho foi já destacado por algumas das principais publicações do nosso país: “Canções como “Lisboa Não É Hollywood” ou “Showbizz” soam requintadas até mais não, e o “filme” do concerto mostra uma banda (numerosa) capaz de fazer a festa.” (Blitz) “Os Azeitonas recordam o inacreditável concerto em que tocaram para um Coliseu do Porto esgotado e com 60 músicos em palco.” (Público) “Gravado em novembro de 2013 para uma casa a rebentar pelas costuras (...) São músicas simples, mas repletas de uma inocência e nostalgia desarmantes. Talvez por isso, não raras vezes, ouve-se mais o público a cantar do que a própria banda.” (Jornal de Notícias) O primeiro single, “Nos Desenhos Animados (Nunca Acaba Mal)”, saiu em Novembro de 2014 e foi um sucesso imediato. Esta versão ao vivo, abrilhantada por um quarteto de cordas, integra a playlist das principais rádios nacionais, e o vídeo atingiu no primeiro ano o meio milhão de visualizações no Youtube.

Em 2015, a banda percorreu o país com a tournée “Serviço Ocasional”, que terminou em Janeiro de 2016 num Coliseu do Porto completamente esgotado. Em Abril de 2016 foi apresentado o single “Cinegirasol”, que teve como inspiração uma reportagem que a banda viu sobre o cinema itinerante Girasol e o seu proprietário, António Feliciano, que levava o cinema a vários pontos do Alentejo. O vídeo, com argumento de Nuno Markl e produção Col.A – Colectivo de Animação e EasyLab, é uma animação em stop motion, que ultrapassou, na primeira semana, as 100 mil visualizações no Youtube.

Em Outubro de 2016, a banda anunciou a saída de Miguel AJ, para se dedicar exclusivamente à sua carreira a solo.

A digressão 2017 passou um pouco por todo o país, e incluiu também a estreia da banda em Macau. No fim do ano, Os Azeitonas deram dois concertos em formato acústico com banda completa, e encheram o grande auditório do Centro Cultural de Belém e a Sala Suggia da Casa da Música. Nestes espectáculos contaram com a participação de vários convidados: António Zambujo, Tatanka, Tiago Nacarato e Luisa Sobral.

“Banda Sonora” é o 5° álbum de estúdio d’Os Azeitonas, editado a 19 de Maio deste ano. “Cinegirasol”, “Fundo da Garrafa” e “Efeito do Observador” são alguns dos temas que fazem parte deste álbum. Com novos temas e a energia que caracteriza os seus espectáculos, Os Azeitonas voltam a atacar a estrada, ansiosos para ouvir o barulho das palmas de Norte a Sul do País